Se seu navegador não suportar JavaScript. Algumas funcionalidades não serão exibidas, estamos trabalhando para disponibilizar mais breve possível as funcionalidades sem javascript.

suaCidade

São Luís

23/09/2017 - 09:59

Sao Luis: Nuvens Dispersas, 28 °C

Número de celulares bloqueados no Brasil chega a 8,3 milhões

Número de celulares bloqueados no Brasil chega a 8,3 milhões

De acordo com dados divulgados recentemente pelo SindiTelebrasil, órgão que representa as operadoras de telecomunicações, o Brasil conta com mais de 8,3 milhões de celulares cujos IMEIs (número de identificação universal dos aparelhos) estão inclusos no Cadastro de Estações Móveis Impedidas (CEMI) e que, assim, estão bloqueados e impossibilitados de utilização. Os dados são de 31 de maio deste ano e representam um aumento significativo comparado com anos anteriores.

Em 31 de dezembro de 2016, os aparelhos que constavam no CEMI totalizavam 7,65 milhões. Já em 31 de dezembro de 2015 o número de celulares bloqueados era de 6,19 milhões. Ou seja, em um ano e meio a base do CEMI teve um aumento de 34%. Em 31 de dezembro de 2010, a quantidade de aparelhos bloqueados era de apenas 1,3 milhão, com um salto considerável dois anos depois quando o registro informava 3,4 milhões de celulares bloqueados.

O bloqueio dos aparelhos é feito quando os próprios usuários solicitam às operadoras a sua inutilização, seja devido à perda, furto ou roubo. Para realizar o bloqueio, o usuário deve ligar para sua operadora e informar seus dados de identificação. Feito isso, a operadora irá procurar pelo histórico da linha telefônica e qual o número do IMEI do dispositivo para então bloqueá-lo. Além das operadoras, órgãos de segurança pública de alguns estados, como a Polícia Federal e Civil, também podem adicionar celulares ao CEMI. Com o bloqueio, os dispositivos não podem mais se conectar com as redes móveis do Brasil e do exterior.

No entanto, há formas de adulterar o IMEI, o que ajuda a alimentar o mercado negro de celulares roubados. Além disso, as fabricantes enfrentam a questão da comercialização de aparelhos não homologados pela Anatel. Estes dispositivos geralmente são de baixa qualidade e importados ilegalmente. Desse modo, as fabricantes pressionam a agência para que ela bloqueie esses aparelhos para tornar a rede mais saudável no país. O impasse, porém, está no desligamento de dispositivos que prejudicaria milhões de usuários brasileiros que hoje possuem acesso aos serviços móveis de suas operadoras. Com isso, a Anatel decidiu bloquear, a partir de novembro, apenas os novos celulares não homologados.

Canaltech.





Notícias

Enquete

Você é a favor do Uber ou outros aplicativos de transporte em São Luís?:

E-mail: