Se seu navegador não suportar JavaScript. Algumas funcionalidades não serão exibidas, estamos trabalhando para disponibilizar mais breve possível as funcionalidades sem javascript.

suaCidade

São Luís

23/09/2017 - 09:52

Sao Luis: Nuvens Dispersas, 28 °C

WhatsApp pode ter sido barrado pela censura na China

WhatsApp pode ter sido barrado pela censura na China

O governo da China está apertando cada vez mais as restrições de acesso à internet. Nesta terça-feira (18), o único serviço do Facebook que ainda é permitido pelas autoridades chinesas também se tornou vítima da censura.

De acordo com o New York Times, os usuários do WhatsApp na China estão relatando interrupções generalizadas no mensageiro. Segundo as informações, muitos usuários estão impossibilitados de enviar fotos, vídeos e, em alguns casos, mensagens de texto. Diante do cenário, analistas de segurança confirmaram ao Times que as interrupções foram originadas pelas autoridades.

Apesar de o WhatsApp ser bastante popular em todo o mundo — com 700 milhões de usuários ativos — perto da China o aplicativo ainda é pequeno. Conforme dito pelos especialistas, no país asiático o mensageiro é especialmente popular entre os cidadãos que querem se comunicar com o mundo exterior, o que pode ser uma das razões por ter se tornado alvo das autoridades de repente.

Ainda não está claro o motivo do WhatsApp ter sido interrompido, ou se isso significa que haverá sua proibição permanente, mas a China está declaramente sinalizando que pretende permanecer no controle de toda a situação.

Mas não é apenas Mark Zuckerberg que tem problemas com a China. Na verdade, as principais empresas de tecnologia ocidentais, como o Google e o Twitter, também estão tendo que lidar com a censura. O governo chinês tem sido resistente ao boom da Internet desde o início, mas fez algumas concessões por saber que bloquear completamente a internet continua não sendo uma opção no mundo moderno.

Agora, porém, com o crescimento do seu próprio setor de tecnologia, o governo da China conta com uma espécie de internet paralela, que pode ser completamente controlada pelas autoridades. Empresas como Baidu e Tencent oferecem ao público motores de pesquisa, microblogs, chats e outras alternativas aos serviços mais populares do mundo, mas tudo com fiscalização intensa.

Para dar conta de toda a censura, os moradores da China sempre usaram serviços de VPN para acessar a internet sem restrições, mas neste ano as autoridades anunciaram ainda mais esforços para bloquear o acesso a VPNs e removê-los do mercado online no país.

Canaltech. Gizmodo.





Notícias

Enquete

Você é a favor do Uber ou outros aplicativos de transporte em São Luís?:

E-mail: