Se seu navegador não suportar JavaScript. Algumas funcionalidades não serão exibidas, estamos trabalhando para disponibilizar mais breve possível as funcionalidades sem javascript.

suaCidade

São Luís

15/09/2019 - 15:34

Sao Luis: Pequenas Nuvens, light rain showers, 26 °C

Instagram irá bloquear conteúdos anti-vacina na plataforma

Instagram irá bloquear conteúdos anti-vacina na plataforma

Nesta quinta-feira (9) o Instagram anunciou que o próximo passo da empresa em conteúdos que serão bloqueados são as publicações que propagam teorias da conspiração e qualquer outra postagem que defenda o movimento anti-vacinas.

A nova regra já passa a ter início imediato, e a rede social já não está mais exibindo nos resultados de busca ou na página das hashtags mais utilizadas aquelas que possuem alguma ligação com o movimento anti-vacinas, de modo semelhante ao que a plataforma já faz com postagens que sugerem o auto-flagelamento e a venda de drogas.

Apesar disso, é importante frisar que o Instagram não irá deletar automaticamente qualquer postagem que fale mal de vacinas, e irá bloquear apenas os conteúdos que sejam uma deturpação da ciência. Por exemplo, se você postar que “vacinas causam autismo”, a postagem será bloqueada, mas se você postar que “vacina X me causou reação adversa”, a publicação continuará existindo normalmente, já que o usuário está apenas expressando um sentimento pessoal e não compartilhando informações enganosas.

Essa distinção entre os diferentes tipos de postagens será feita do mesmo modo que já é realizado no Facebook, no qual a companhia utilizará dados sobre as principais informações cientificamente falsas sobre vacinas fornecidas pela Organização Mundial da Saúde para identificar quais postagens são problemáticas.

Outra solução proposta pelo Instagram, mas que ainda não tem data para ser implementada, é a da criação de um pop-up do app da rede social que irá aparecer quando o usuário procurar por conteúdo sobre vacinas, como uma forma de trazer informações corretas sobre o tópico.

Ainda que a plataforma não vá remover as páginas de grupos anti-vacina, a medida deve acabar com um dos maiores problemas da plataforma: o fato de ser muito fácil encontrar conteúdos que tentam convencer sobre os perigos das vacinas, e qualquer procura pelo tema mostrava mais teorias da conspiração e informações falsas do que postagens mais “normais” sobre vacinação.

A decisão acontece num momento em que o Facebook (empresa dona do Instagram) vem sendo pressionada a agir para evitar a propagação de conspirações anti-vacina, que estão fazendo com que algumas doenças até então erradicadas voltem a surgir, como catapora e sarampo.

Canaltech; Mashable.





Enquete

Você é a favor da Reforma da Previdência?:

 

E-mail:

greg