Se seu navegador não suportar JavaScript. Algumas funcionalidades não serão exibidas, estamos trabalhando para disponibilizar mais breve possível as funcionalidades sem javascript.

suaCidade

São Luís

20/09/2019 - 02:11

Sao Luis: Céu Limpo, 25 °C

Neurologista alerta para a importância de diagnóstico precoce da Esclerose Múltipla

Neurologista alerta para a importância de diagnóstico precoce da Esclerose Múltipla

A Esclerose Múltipla é uma das doenças mais incapacitantes entre os jovens, mas ainda é pouco conhecida pela população. Apesar de não haver ainda cura, há tratamento para evitar o surgimento de incapacidades e garantir melhor qualidade de vida para o paciente. Por isso, neste 30 de agosto, Dia Nacional de Conscientização sobre a Esclerose Múltipla, o Hospital São Domingos e entidades como a Associação Brasileira da Esclerose Múltipla (ABEM) alertam a população sobre a importância de saber mais sobre esta doença, seu diagnóstico e tratamento precoce para que os pacientes possam ter maior qualidade de vida.

De acordo com o neurologista do Hospital São Domingos, Dr. Sérgio Fernandes, a Esclerose Múltipla é uma doença autoimune, inflamatória, dismielizante crônica que se caracteriza pela inflamação da bainha do nervo (bainha de mielina). "Até o momento, não foi descoberta nenhuma causa específica para o surgimento da Esclerose Múltipla, mas sabemos que existem fatores de risco para o desenvolvimento da doença como: genética, vírus, localização geográfica, gênero.", explica o médico.

Dr. Sérgio Fernandes informa, que, por ser uma doença autoimune, não há como prevenir o seu aparecimento, porém afirma que hábitos de vida saudável diminui o risco.

Já que não há como prevenir, é preciso, então, estar atento aos sintomas, pois o diagnóstico e o tratamento precoces são essenciais para garantir qualidade de vida ao paciente. Entre os sintomas da doença estão: perda visual ou visão dupla; alteração de força muscular, de sensibilidade, na marcha e da coordenação.

"Ao sentir alguns desses sintomas deve-se procurar um neurologista para  uma avaliação clínica associada a exames laboratoriais e de imagem para fazer um diagnóstico preciso, se é caso de Esclerose Múltipla ou não, e começar o tratamento", alerta Dr. Sérgio Fernandes.

Ele diz ainda que a Esclerose Múltipla se confunde com outras doenças e muitas vezes, o um déficit neurológico apresentado por uma pessoa pode ser confundido, por exemplo com um AVC (Acidente Vascular Cerebral), e se não for investigado e diagnosticado pode aumentar os riscos de surgimento de incapacidades, caso seja Esclerose Múltipla. "Por ser uma doença pouca conhecida pela população, é negligenciada por políticas públicas e com isso, acaba sendo descoberta em estágio avançado, o que reduz as chances de evitarmos as incapacidades.
A idade mais comum do acometimento da esclerose múltipla é dos 20 aos 45 anos. São raros os casos em crianças e pessoas acima de 55 anos.

Tratamento

O tratamento é feito com o uso de imunomoduladores, imunossupressores , medicações que atuam nas células de defesa do organismo para reduzir a agressão ao nervo. "Como é uma doença autoimune, provocada por anticorpos e outros mediadores inflamatórios que atacam a bainha de mielina, utilizamos medicações para diminuir a produção desses anticorpos e de citocinas e a agressão à bainha de mielina ", detalha Dr. Sérgio Fernandes.

Apesar do nome parecido, é importante lembrar que a Esclerose Múltipla e a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) são doenças distintas. "A Esclerose Múltipla é uma doença inflamatória automimune. Já a Esclerose Lateral Amiotrófica, que também é degenerativa, é provocada por ação de outros mediadores e respostas inflamatórias. São doenças com prognósticos diferentes, e apesar do nome Esclerose aparecer nas duas, não há relação entre elas", explica ele.

Devido à importância do diagnóstico preciso para o tratamento imediato da Esclerose Múltipla, o Hospital São Domingos mantém uma equipe e toda infraestrutura de suporte para atender a população. "Temos disponível aqui no hospital, além dos profissionais capacitados, todo o suporte para exames laboratoriais e de imagem necessário para o diagnóstico, acompanhamento e tratamento da Esclerose Múltipla", informa Dr. Sérgio Fernandes.

Ele alerta que é de suma importância para a população saber da  existência da doença e que o tratamento melhora e diminui incapacidades, por isso, são realizadas campanhas como o Dia Nacional da Conscientização sobre a Esclerose Múltipla.

Mito ou verdade

1. A Esclerose Múltipla é uma doença mental? Mito
• Não é uma doença mental, é uma doença que atinge o sistema nervoso central, relacionada à inflamação do cérebro, e causa déficits e incapacidades.

2. Pode ser silenciosa e se manifestar de diferentes formas ao longo do tempo, tornando difícil o diagnóstico? Verdade
• Muitas vezes, a esclerose múltipla pode provocar déficits leves  e os sintomas podem ser confundidos com outras doenças.

3. Tem relação direta com a idade avançada? Mito
• A Esclerose Múltipla está mais relacionada ao paciente jovem. É incomum em idosos.

4. A Esclerose Múltipla é uma doença fatal em todos os casos? Mito
• Não é uma doença fatal, pode levar pacientes a incapacidades, mas com o diagnóstico e tratamento precoces se reduz as chances de sequelas.

Com informações do Hospital São Domingos.

Foto: Divulgação.





Enquete

Você é a favor da Reforma da Previdência?:

 

E-mail:

greg